quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Amanha


Amanhã




Amanha...
Meu presente Indicativo,
De um sonho


Que amanha,
Num pulo...
Entre o passado e o presente


Amanha
Entre um lado e o outro
Da ponte


Eu,Flor
De mim
Desabroche


O botão
Que como num sorriso
Se abre


A boca
Cheia de dentes
Brancos
Sorri


Amanha
Acorde,no hoje
Presente de Deus
Pra mim!




Lais de Andrade

4 comentários:

Gustavo Brito disse...

- ainda bem que phui convidado ao caphé:

"O botão
Que como num sorriso
Se abre

A boca
Cheia de dentes
Brancos
Sorri"

dentes que florescem brancos numa boca que sorri. boca que floresce nos dentes brancos que sorriem.

impressionante.
gostei muito, laís.


vou guarda-la nos meus links para vir aqui e ler mais vezes acompanhando dum caphé.

Mário Liz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mário Liz disse...

me lembro que esse poema nasceu de um desafio ...

"Amanhã, Presente do Indicativo."

- o riso branco
clareia feito o amarelo
do Sol

o riso amarelo
amarela
mas não clareia


(um verso feito a partir dos teus versos ...)

viva a poesia!!

Monique disse...

Lindo lindo .
Não vou dizero que nietszche diria que se visse sua poesia .
Pois não concordo com ele !!!!

Parabéns lindas palavras .
E desculpa não estar na facul ontem, tive que sair correndo e ão sabia onde era sua sala !!!


Beijos querida !!!